Copiar não é roubar

A resposta dos “piratas” à propaganda tosca que pretende induzir o consumidor a acreditar que a subtração de uma bolsa ou de um carro é equivalente em reprovabilidade à cópia de um DVD e um CD.

Como eu digo em minhas palestras: no dia em que houver tecnologia para copiar um carro, eu vou copiar uma Ferrari não só para mim como para meus amigos.

E isso está muito longe de ser furto, roubo ou qualquer outro crime patrimonial.

Assistam! Imperdível!

Atualizado em 8 de junho de 2009, para a versão com legendas em português.

Tradução e legenda por @alexccastilho .

Anúncios

6 thoughts on “Copiar não é roubar”

Os comentários estão encerrados.